Sábado, 26 de Novembro de 2011

Quando deputado rima com iletrado

O deputado do CDS Raul Almeida não convive bem com a diferença de opinião aliás diferença e liberdade são palavras que não fazem parte do dicionário da extrema-direita.
No caso do Raul nem dicionário tem, ou então só o usa para conseguir ficar mais alto quando se senta na sua cadeira no parlamento.

Num post em que fala sobre exigência na educação consegue escrever "maioritáriamente" em vez de maioritariamente, "exiga" em vez de exija e "ilíteracia" em vez de iliteracia.

No entanto não se coíbe de mimar o Ricardo Sá Ferreira com adjectivos como "imbecil" e "palermoide" (não consigo encontrar esta última no dicionário, mas penso que se deve escrever "palermóide").

Falamos do mesmo deputado que aqui se refere ao líder parlamentar do PCP Bernardino Soares como "palhaço, carunchento, balofo e piroso". 

 

Claro que poderia aqui aproveitar a embalagem e insultar gratuitamente este deputado da extrema-direita, mas como diz e bem o seu colega de partido Pedro Mota Soares "O insulto e a ofensa são menores na política (..) o insulto pessoal não é a nossa postura".

 

 

publicado por Francisco da Silva às 01:56
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De tavares a 20 de Dezembro de 2011 às 17:57
Tem cara de parvo. Oalgodão não engana

Comentar post

.autores

.pesquisar

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ainda há esperança?

. Da vergonha alheia

. Vamos a Belém - 25 de Mai...

. Carta a Amélia

. Demissão já

. O PS tem problemas em faz...

. Hasta Siempre Comandante

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds