Segunda-feira, 20 de Agosto de 2012

Arrastão

 

Paulo Macedo voltará a ter um orçamento mais curto no próximo ano. Educação e Segurança Social também terão corte na dotação.

 

 

A carga fiscal tem aumentado, no entanto, a saúde e a educação têm sofrido enormes cortes no seu orçamento. A isto, juntamente com a segurança social, o governo de Direita chama: "as gorduras do Estado". 

O problema já nem é o total desinvestimento nos cidadãos, isso há muito tempo que vimos a alertar. O problema é que se trata de roubo, ou melhor, trata-se de crime organizado, para ser mais correcto.

 

Nós pagamos vários e variados impostos com um propósito: ter esse retorno em educação, saúde, segurança social, justiça, entre outros. Quando o governo está a cobrar esses impostos e nada nos dá em troca, é altura de perguntarmos porquê. Então se cada vez pago mais impostos, faz sentido receber cada vez menos em salário indirecto? Para que raio pagamos impostos então? 

Esse dinheiro, que devia estar a ser investido em serviços públicos, está a ser desviado de uma forma desonesta e trapaceira para pagar juros de uma dívida que não fomos nós que a contraímos.

 

Esse dinheiro, está a servir para pagar inúmeros boys do PSD e do CDS, para pagar uns submarinos cuja única contrapartida visível, parece ter sido para os cofres do CDS, para dar empregos a Catrogas, filhos de Catrogas e netos de Catrogas.

Isto é roubo e é roubo organizado, aliás, mais parece um arrastão. 

Esta quadrilha leva tudo o que pode, tudo o que lhe aparece à frente e distribui entre os seus. Paulo Macedo tem sido um dos rostos mais visíveis desta bandidagem, juntamente com o Crato e Paulo Portas. 

 

Estamos a falar de criminosos da pior espécie, daqueles que não se importam de roubar medicamento necessários aos nossos doentes, nem educação e consequentemente o futuro, aos nossos jovens. Roubam os idosos com a mesma falta de escrúpulos, roubam casas, sonhos, vidas... E, no entanto, é a esta gente que nós confiamos o leme do país.

 

Isto não é um governo, mais uma vez digo que é um arrastão que se estendeu ao país todo, e só se safa quem tem cartão do PSD ou do CDS. Não há polícia que nos valha, está do lado dos bandidos, tal como aquela coisa distante a que costumávamos chamar justiça. 

 

A revolução ainda demora muito? 

 

publicado por Francisco da Silva às 23:32
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 13 de Agosto de 2012

Financiamento partidário






desapareceram os documentos com os registos das posições assumidas pela antiga equipa ministerial de Paulo Portas, que foi quem negociou o negócio concretizado, em 2004, quando Durão Barroso era primeiro-ministro e Portas ministro de Estado e da Defesa nacional.


O que vale é que o Portas tirou fotocópias.

 

 

Actualização

 

Esta ainda é melhor: "o papel? mas qual papel?"

José Pedro Aguiar-Branco, questionado pelos jornalistas, respondeu com outra pergunta: «quais documentos?»

 

publicado por Francisco da Silva às 13:00
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 8 de Agosto de 2012

Só não vê quem não quer






"O PSD e o CDS suspenderam o grupo de trabalho que procurava aprovar medidas de apoio às famílias e desde essa decisão unilateral do PSD e do CDS mais de 1200 famílias ficaram sem condições de pagar a sua prestação e arriscam-se a ficar sem casa"

 

PSD e CDS, os mesmos que tiveram a bênção do Aníbal na lei que veio facilitar os despejos, decidem agora acabar com um grupo de trabalho que era suposto ajudar as principais vítimas das suas políticas. 

Esta deriva da direita não tem como objectivo reduzir a dívida, colocar as contas públicas em dia, endireitar o país. Esta política tem como objectivo criar uma revolução de mentalidades.  

A ideia é lançar o maior número possível de portugueses no desespero e na miséria, para que estejam dispostos a trabalhar por um quarto de uma carcaça e um copo de água. 

 

O desemprego bate records atrás de records: o número de casais desempregados subiu cerca de 81% no último ano, e o governo facilita os despejos, os despedimentos e agora acaba com um grupo de trabalho que poderia ajudar 1200 famílias a não perder a sua casa? 

Mas que tipo de gente somos nós portugueses, que permitimos que estes gansters continuem a governar? Até quando vamos fingir que os nossos avós, os nossos pais, os nossos filhos, os nossos irmãos, os nossos primos, vizinhos e colegas, continuem a sofrer com medidas destas, que visam apenas destruir a dignidade das pessoas?

Primo Levi na sua obra "Se isto é um homem" explica bem esta fórmula: roubam a dignidade ao ser humano, até ele ser incapaz de qualquer revolta, incapaz de se sentir mais do que uma besta de carga. 

Claro que Primo Levi falava do campo de concentração onde passou parte da sua vida a aumentar a produtividade da indústria Alemã, que tinha um letreiro à porta a dizer "o trabalho liberta".

Mais um ano destas políticas e nenhuma dignidade restará ao português comum.
Sem hipótese de ter o seu modo honesto de ganhar a vida, o seu tecto e comida na mesa para a sua família, o mais forte dos homens verga. Rende-se, e aceita tudo o que lhe cair em cima. 

Não me canso de escrever que trata-se de uma luta pela nossa dignidade como pessoas, sem ela, todo o tipo de escravidão é possível. 


Sim, já chegou a este nível, temos andado distraídos. 

publicado por Francisco da Silva às 00:18
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 6 de Agosto de 2012

Ensino privado: reservado o direito de admissão


O financiamento do ensino privado por parte do estado vai continuar sem cortes. Quando se fala neste tipo de financiamento, vem logo ao de cima o superior interesse dos alunos, a quem os proprietários dos colégios privados fazem o favor de providenciar ensino. Digo ensino e não educação, porque são duas coisas distintas e que não devem ser confundidas.
Se não fosse este apoio que o estado dá aos colégios, os miúdos não poderiam lá estudar, como se de uma escola pública se tratasse. Bem hajam estes mercadores do ensino, certo? Errado. Primeiro, quem explora uma instituição de ensino privada tem um negócio, tão legítimo como qualquer outro. Logicamente, o seu objectivo é o lucro e não providenciar o melhor ensino possível, o que também é perfeitamente legítimo. O que não faz sentido aqui é o estado pagar um valor "x" para cobrir as despesas do aluno, acrescidas de um "y" que representa lucro. O estado está a pagar mais do que apenas o ensino do aluno, ou seja: sai mais caro providenciar este ensino via privado, do que apostar na escola pública.

Mas há mais...o sinistro Crato propõe um novo incentivo, porque esta malta de direita fala mal dos subsídios mas não pode viver sem eles. O incentivo do estado não é consoante a qualidade do ensino dos alunos, como seria de esperar, mas sim para as escolas "cujo projecto educativo favoreça a estabilidade e empregabilidade do corpo docente". O estado vai então majorar o subsídio aos colégios que mantiverem os seus professores, o mesmo estado que, no ensino público, está a despedir milhares de professores. Vai subsidiar o emprego dos professores no privado, ao mesmo tempo que os despede no ensino público.

 

Se isto não é destruir a escola pública, substituindo-a por empresas cujo objectivo é fazer dinheiro e não dar instrução aos nossos alunos, não sei o que é. 

Na educação, como na saúde, como no estado em geral, este governo tem um objectivo: destruir tudo o que é público e mostrar que o estado não é necessário. O objectivo é deixar-os de ser portugueses para sermos animais de trabalho, propriedade da ganadaria Champalimaud, da ganadaria Espírito Santo, da ganadaria José Eduardo dos Santos... A ideia é tornar isto tão mau, que ninguém consiga olhar em volta e perceber qual a utilidade do estado. Estão no bom caminho, as pessoas cada vez menos olham para o estado como "pessoa de bem". Olham para o estado como ladrão, corrupto, corporativista e manietado por aqueles que financiam os partidos que nos governaram desde Abril de 74. 

 

Lembrem-se que uma vez destruído o estado, vamos depender da caridadezinha do Soares dos Santos e do Belmiro de Azevedo. As pessoas não parecem muito preocupadas: tanta gente que está a perder tudo, casas incluídas, vão achar um luxo as sanzalas que estes feitores estão a preparar para nós. 

No meio disto tudo, Passos, Crato, Gaspar, Paulo Macedo e companhia, são apenas capatazes. São a face visível do chicote destes senhores. Há que lhes arrancar estes chicotes das mãos e dar caça a quem realmente manda neste país.
 

publicado por Francisco da Silva às 23:33
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

.autores

.pesquisar

.posts recentes

. Ainda há esperança?

. Da vergonha alheia

. Vamos a Belém - 25 de Mai...

. Carta a Amélia

. Demissão já

. O PS tem problemas em faz...

. Hasta Siempre Comandante

.arquivos

. Julho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds