Quarta-feira, 3 de Agosto de 2011

política de marquise

 

 

O caso BPN divide-se em três pontos:

 

responsabilidade política

responsabilidade jurídica

responsabilidade económica

 

Em relação à económica não sou a pessoa mais indicada para comentar, apenas refiro que faço parte daquela minoria que achava que o risco sistémico de contágio era nulo, o único risco de do BPN falir era o político: poderia expor uma facção que tem (do)minado o nosso país.

 

Quanto à jurídica não me surpreende o rumo que o processo tem tomado.

A Justiça em Portugal é uma miragem, só não é uma piada porque não tem graça nenhuma.

 

Por fim e a parte que "me assiste", temos a responsabilidade política.

Oliveira e Costa, Dias Loureiro, Rui Machete, entre outros, cresceram política e profissionalmente à sombra da alfarrobeira.

O líder da facção continua impávido e sereno como uma coelha na sua toca.

Cada Dias Loureiro é um offshore desta política de marquise: a política de quem se protege na sua varanda do poder por uma estrutura artificial e legalmente duvidosa.

A criação destes offshores políticos permite à alfarrobeira não ter de sujar as mãos, tem quem o faça por si. Como disse Oliveira e Costa no parlamento: "nunca carreguei numa tecla sequer, tenho pessoas a quem pagava para isso"(cito de memória).

A responsabilidade política é sua, levou os seus delfins para o poder como quem leva os netinhos ao Açores.

No entanto continua como se nada fosse, destilando por todos os poros a mediocridade que lhe assiste.

publicado por Francisco da Silva às 13:15
link do post | comentar | favorito
18 comentários:
De s o s a 3 de Agosto de 2011 às 23:35
como hipotese: e se esta falencia foi encomendada ? se esta falencia é comparável ao patrão que pega fogo á fábrica para receber o seguro ? ou o madeireiro que paga para atear fogo ao pinhal, cuja madeira vai depois comprar ?
De Francisco da Silva a 4 de Agosto de 2011 às 15:19
É uma das hipóteses a considerar...
De Manuel a 4 de Agosto de 2011 às 02:55
a gente ve gente da alta a fazer tantas diabruras, que ja penso que o povo mais prejudicado da sociedade se tornar vigarista e ladrão é um acto revolucionario... depois de ver trinfar tantas nulidades e mafiosos é caso pra pensar que ser honesto é mesmo ser um bocô... eu cá deixei de ser... ninguem quis sair pra rua, agora tbm vou tenbtar papar....
De Francisco da Silva a 4 de Agosto de 2011 às 15:23
Penso que não é preciso ir pelo mesmo caminho que eles, mas sim contribuir para que esta impunidade acabe. Compreendo a sua revolta, mas tente utilizá-la num bom sentido.

Um abraço.
De Sérgio de Almeida Correia a 4 de Agosto de 2011 às 09:53
Bem visto.
De JP a 4 de Agosto de 2011 às 10:10
Fui militar e andei sempre em zonas de elevado risco a defender a Patria e havia o tal regime fascista e com sabem os militares tanto servem o fascismo, o imperialismo, socialismo, comunismo etc. serve-se cegamente o que os politicos que decidem mas até certo dia. Quando começa a haver excessos de mafias, roubos, mentiras e outras situações vergonhosas onde uns podem querem e fazem o que querem para beneficio proprio e continuam impunes, aí existe um motivo para que os militares actuem repondo a legalidade. E nao é so Portugal mas sim o Mundo todo onde há corruptos, ladrões, mafiosos... etc a governarem-se
De Francisco da Silva a 4 de Agosto de 2011 às 15:29
JP penso que não compete só aos militares é uma tarefa para todos nós.
A democracia não se esgota no voto e há várias maneiras de "repor a legalidade" sem recorrer às forças armadas. Felizmente que as manifestações, acampadas e outros protestos têm dado frutos e feito cair muitos regimes, é necessária é uma vontade geral para mudar o estado a que chegámos.

Um abraço
De ARPires a 4 de Agosto de 2011 às 10:30
Nada poderia haver de melhor para caracterizar o BPN e toda a sujidade envolvente, do que esta imagem com as quatro marquises exemplares, dá uma por "tag" e onde um dos alvos se esconde por trás dos estores.
De Francisco da Silva a 4 de Agosto de 2011 às 15:30
Bem visto eheheh.
De Marc a 4 de Agosto de 2011 às 11:05
E do alto do seu púlpito de hipocrisia o presidente da república, criador do ninho onde se acomodaram durante anos estes surripadores da riqueza nacional, continua pregando a sua honestidade e nem uma frase de revolta ou de indignação por aquilo que os seus pupilos fizeram. Que pensar disto? Quem é esta gente? Para onde vamos com estes indivíduos com cargos tão altos e com uma moral tão baixa?
De Francisco da Silva a 4 de Agosto de 2011 às 15:37
Parece que a moral é hoje inversamente proporcional à importância do cargo que se ocupa.
De CM a 4 de Agosto de 2011 às 11:42
Para quê trabalhar honestamente se os que deveriam dar o exemplo ainda nos andam a extorquir sem nada temerem!!! Os honestos são considerados os "criminosos" pelo estado, já que se tem o azar de "por alguma distração" ficarem a dever 90€ às finanças lá vem a "pide" fiscal penhorar o ordenado (isto é real)! E os tubarões continuam a comer os peixinhos sem nada temerem...e o "burro sou eu"!!!!
De Francisco da Silva a 4 de Agosto de 2011 às 15:33
Para quê trabalhar honestamente... nem que seja para não ser igual a eles.

Um abraço
De Casimiro a 4 de Agosto de 2011 às 11:53
Com tanto "Patriotismo e Vontade de servir o País", que tal propormos que todos eles sejam condecorados no próximo 10 de Junho.......
Aposto que envergariam o seu melhor "fatito", poriam a sua melhor gravata (CD) usariam o seu melhor perfume (DG) e apresentariam o "DESCARAMENTO" a que nos habituaram, estampado no NOJENTO ROSTO.
De Francisco da Silva a 4 de Agosto de 2011 às 15:33
Penso que o presidente da república não se esquecerá certamente.
De Luis a 5 de Agosto de 2011 às 06:19
cara cibernauto Francisco Silva



vc tem toda a razão, eu tbm pensei e penso como vc...só que a vida nem sempre nos permite ser os bons da fita...sabe porquê? pq a realidade é bem mais dura do que a razão..

sabe, eu nunca pensei recorrer a favores para emprego, mas nao tive alternativa, tive que engolir um sapo e engolo todos os dias... saiba que nem só o merito é a razao, afinal quem tem menos meritos tbm tem que lutar pela sua sobrevivencia, pois a propria condição fisica, o aspecto, ou capacidades influencia na emancipação, mas vivendo numa sociedade injusta, quem nao tem certos atributos, uma boa escola, uma boa criação ou uma boa condição nao pode ficar só à espreita, alem que mesmo quando tem mais capacidades, imagine um jornalista de tv, tem que acompanhar outros factores, tipo aspecto, etc... a cada um conforme as suas necessidades, e nao apenas conforme seus méritos... a méritocracia é uma falacia e até fascismo.... dizem alguns funciponarios publicos que tem todo o direito de receber mais pq estudaram...ja na meia idade, com a intençao de auferir um melhor salário, é salutar porém tbm injusto visto que no nosso país nem todos tem essa possibilidade nem a mesma carga horaria e trabalho sereno, então pq tem que ser justo com uma sociedade que ainda cersce tão injusta??



as coisas não sao tao simples como se pensa....devemos cultivar o respeito pelos outros, mas tbm o respeitos por nós...



cumprimentos

De Francisco da Silva a 5 de Agosto de 2011 às 12:17
Concordo com muito do que diz, para mim a meritocracia é a cenoura do Capitalismo.
Quanto à vida não nos permitir ser sempre os bons da fita...percebo aquilo que quer dizer, como diz um grande professor de ciência política que tem a minha admiração: "Na teoria, a prática é uma coisa completamente diferente", ou seja, a realidade tem a capacidade de esmagar muitas efabulações teóricas.

Um abraço espero que continue "por cá."
De Anónimo a 6 de Agosto de 2011 às 06:42
obrigado por responder


mas só mais uma coisa...
pela minha experiência empírica, na verdade, o verdadeiro cidadão exemplar é aquele que que quando tem meios nao prevarica e se poe na condição dos outros, o que nao é facil....ou entao só recorre a "favores" qaundo se esgotaram as oportnidades, se ainda a estiver, porém outros nao tem escrupulos de nada nem vergonha, fazem e riem-se, uns por maldade e ignorancia, outros para que nao se riam dele, talvez como defesa... isto digo pq para alguem ser justo na verdadeira razão do termo, normalmente ou já tem um bom "pé de meia" e teve um percurso de crescimento e ambiental exemplar, e hoje tem uma profissão verdadeira "uma arte" que a sabe a fundo, esse meu caro, esse nao precisa de ninguem, mas tbm alguns os vejo, nao a pedir pra eles, mas como nao é pra eles nao se inibem de pedir para os filhos que lançaram no mundo... na verdade, com coerencia e sem hipocrisia, em todo existe compadrios...mas onde nao pareça...porém devemos lutar sempre por mais justiça e por menos manobras de ultrapassar os outros de qualquer jeito, mas a sociedade mtas vezes tbm se esquece que os outros, os vencidos ou que nao vingaram tambem sao cidadaos, tbm tem de viver, para uns chegar ao alto consequentemente alguem ficará nos lugares mais baixos.... numa corrida tem que a ver primeiros e ultimos, mas isso nao dá razão de quem tenta ter de ser esquecido só pq varios factores sociais nao o ajudaram a ir mais alem... na pratica isto tbm é teoria e mtos se aproveitam dessas desculpas, mas mtos tbm sao vitimas mesmo que nao pareça...

Comentar post

.autores

.pesquisar

.posts recentes

. Ainda há esperança?

. Da vergonha alheia

. Vamos a Belém - 25 de Mai...

. Carta a Amélia

. Demissão já

. O PS tem problemas em faz...

. Hasta Siempre Comandante

.arquivos

. Julho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds