Segunda-feira, 21 de Janeiro de 2013

Unicer - Democracia é um conceito estranho

 

A Unicer é uma das empresas líder em Portugal, exporta para vários mercados e tem tudo para continuar no bom caminho. No entanto, a entrada em vigor do novo código laboral, com a simpatia da UGT, colocou os trabalhadores em situação complicada.

 

2012

Em Agosto, aquando da entrada em vigor das alterações ao Código do Trabalho, a empresa preparava-se para adoptar os novos valores de remuneração do trabalho extraordinário. A Comissão de Trabalhadores tomou então a iniciativa de pedir à comissão intersindical que agendasse um plenário para discutir o assunto. Saiu o pedido de reunião urgente à administração da empresa para esse mesmo dia, onde ficou acordado que a Unicer pagaria o trabalho extraordinário pelo mesmo preço até ao fim do ano.

 

Negociação?

Nesse compromisso, a empresa garantia também que iniciaria em Setembro as negociações com os sindicatos com vista à renegociação do Acordo Colectivo de Trabalho, uma vez que os sindicatos pretendiam incluir pontos que menorizassem os efeitos das condições para despedimento com justa causa previstas no código do trabalho. Apesar disso, e dos vários contactos dos sindicatos, a administração nunca se mostrou disponível e só em Dezembro deu a conhecer que pretendia abordar alguns pontos. Assim, os sindicatos reuniram o plenário no início do ano e os trabalhadores decidiram aderir ao pré-aviso de greve decretado pela FESAHT.

 

Laboração contínua

Desde 3 de Janeiro que os trabalhadores estão em greve, não obstante as constantes pressões das chefias sobre os trabalhadores. Entretanto a empresa partiu de forma agressiva com a “proposta” para os trabalhadores em regime de laboração normal aderirem à laboração continua, ameaçando de que quem não aceitasse seria encostado a um canto.

 

Chantagem e ilegalidade
Há duas semanas, em reunião previamente marcada para negociação da tabela salarial para 2013, a empresa limitou-se a informar os sindicatos que suspendia todas as negociações enquanto vigorasse a greve ao trabalho extraordinário, questionando antecipadamente os trabalhadores quem iria fazer greve no fim-de-semana seguinte, tendo contratado trabalhadores precários a uma empresa de trabalho temporário para substituir os trabalhadores em greve.

 

Novo plenário

Realizou-se, então, um novo plenário, onde se condena a atitude da empresa em pressionar os trabalhadores para abandonarem a greve sob ameaça de não haver aumento salarial; a atitude dos responsáveis da empresa em interpelar antecipadamente os trabalhadores acerca da adesão à greve; a pressão no sentido de aderirem ao sistema de laboração contínua sob ameaça de colocação na prateleira. A mesma moção determina mandatar os sindicatos para que a suspensão da greve se verifique apenas se a empresa repuser os pagamentos do trabalho extraordinário nos moldes anteriores e mandata os sindicatos para que, numa situação de inexistência de atitude diferente por parte da empresa, adoptem medidas mais duras de luta que poderão passar pela greve às primeiras e ultimas horas dos turnos.

 

“Alô? É da administração”.

Na sexta-feira passada semana, assistiu-se a um episódio insólito, inédito e ilegal. Altos responsáveis da Unicer telefonaram para os trabalhadores que nem sequer se encontravam nas instalações da empresa dizendo-lhes para trabalharem no sábado seguinte.

 

 

O CEO (estrangeirismo para patrão/administrador) da Unicer é Pires de Lima, presidente do conselho nacional do CDS. CDS que, aproveito a oportunidade, tem procurado passar por entre os pingos de chuva neste Governo desastroso e desastrado que temos à frente do país. Pires de Lima, que anda tão preocupado com as fugas de informação no governo, devia preocupar-se mais com a empresa que gere. Por exemplo, o que já significa para a Unicer o custo com ex-SCUT e com as novas que por aí virão, pela mão do governo do qual o seu partido faz parte.

publicado por rms às 15:10
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 29 de Novembro de 2011

Desapareceu


 




Paulo de Sacadura Cabral Portas nascido a 12 de Setembro de 1962, Ministro dos Negócios Estrangeiros e líder do CDS-PP encontra-se desaparecido.
A última vez que foi visto em público fazia parte da escolta do Aníbal na visita oficial deste último ao cão de água português mais famoso do Mundo.
Vestia fato azul escuro e usava uma gravata feia à brava.

Caso tenha alguma informação é favor entrar em contacto:

Largo Adelino Amaro da Costa, Nr. 5, 1149-063 LISBOA

Tel : 218 814 700 * Fax : 218 860 454 * cds-pp@cds.pt


via @Schoffenhausen

publicado por Francisco da Silva às 23:52
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 26 de Novembro de 2011

Quando deputado rima com iletrado

O deputado do CDS Raul Almeida não convive bem com a diferença de opinião aliás diferença e liberdade são palavras que não fazem parte do dicionário da extrema-direita.
No caso do Raul nem dicionário tem, ou então só o usa para conseguir ficar mais alto quando se senta na sua cadeira no parlamento.

Num post em que fala sobre exigência na educação consegue escrever "maioritáriamente" em vez de maioritariamente, "exiga" em vez de exija e "ilíteracia" em vez de iliteracia.

No entanto não se coíbe de mimar o Ricardo Sá Ferreira com adjectivos como "imbecil" e "palermoide" (não consigo encontrar esta última no dicionário, mas penso que se deve escrever "palermóide").

Falamos do mesmo deputado que aqui se refere ao líder parlamentar do PCP Bernardino Soares como "palhaço, carunchento, balofo e piroso". 

 

Claro que poderia aqui aproveitar a embalagem e insultar gratuitamente este deputado da extrema-direita, mas como diz e bem o seu colega de partido Pedro Mota Soares "O insulto e a ofensa são menores na política (..) o insulto pessoal não é a nossa postura".

 

 

publicado por Francisco da Silva às 01:56
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 27 de Outubro de 2011

"I did not have sexual relations with that woman"

 

O João Almeida diz que quando andava na garotice pelo facebook o debate com o Ministro ainda não tinha começado.

Ora o facebook diz-nos que o João Almeida postou a sua análise futebolística às 15:21 e a foto abaixo mostra que o ministro Gaspar já falava desde as 15:18.
O que interessa neste "caso" ridículo não é se o João deveria utilizar melhor o tempo em que está (ou deveria estar) a representar os cidadãos que o elegeram.

 

A questão principal é outra:

Ao João bastava-lhe ter assumido o erro (se o considerasse como tal) e passar à frente.

Em vez disso declarou ao Diário Económico que "houve um atraso nos trabalhos" e que "o plenário ainda não tinha começado"

 

Se numa questão tão rídicula como esta o João procede deste modo, como responderá a outras muito mais importantes como a situação do País, evolução económica, etc.

 

Recordando o caso de Bill Clinton, o processo relativo às suas declarações sobre o caso Mónica Lewinski não foi por ele ter tido ou não relações mais ou menos intímas com a sua estagiária.

O processo foi por Bill Clinton ter mentido, como tal deixou de merecer a confiança dos americanos.

Mas em Portugal, nem os jornalistas a quem as declarações foram feitas levam a mal. 

Passam por mentirosos e nem se ralam.

Assim vai o país... até quando?

 

Voilá:

 


 

 

publicado por Francisco da Silva às 20:51
link do post | comentar | favorito

os censos e a falta de senso do CDS



"Assim que chegou ao debate, que teve início às 15 horas de hoje, Vítor Gaspar tinha avisado os deputados de que não poderia estar presente até ao final."

 

 

"João de Almeida diz que a discussão do Orçamento ainda não tinha começado quando publicou no Facebook as preferências futebolísticas dos deputados do CDS.

Em causa está uma mensagem publicada pelo porta-voz no CDS na rede social hoje às 15h30: "Para descomprimir... Após "censo" realizado no Grupo Parlamentar do CDS, conclui-se que existem: 12 Deputados do Benfica; 7 do Sporting; 2 do Belenenses; 2 da Académica e 1 do F.C.Porto".

Ao Económico, o deputado afirmou que "houve um atraso nos trabalhos" e que "o plenário ainda não tinha começado" a essa hora"


As duas notícias são do mesmo orgão de comunicação: Diàrio Económico.
Para tirar a limpo é muito simples, basta recorrer ao timecode do vídeo do debate.

De qualquer forma penso que mais vale os deputados do grupo parlamentar do CDS estarem quietinhos e entretidos nestas garotices do que andarem com aquela conversa da falta de produtividade, ou dos mandriões do RSI. 
 

 

 

 

publicado por Francisco da Silva às 18:36
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 17 de Outubro de 2011

o elo mais fraco


 

tweet do @bifeahcasa 

publicado por Francisco da Silva às 22:10
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 1 de Setembro de 2011

Mais impostos, menos Estado

Ontem tivemos mais um grande momento televisivo: o sinistro Gaspar apresentou mais um pacote de austeridade.

 

Ora, supunha-se que desta vez fosse falar sobre contenção de despesa do Estado, eliminar as tais gordurinhas que fazem o Estado parecer o Maniche quando chegou ao Sporting. No entanto, como Agosto está no fim, Vítor Gaspar e a sua trupe de ilusionistas pensaram, e bem diga-se, que acabado o verão, esta preocupação de emagrecer desaparece: Portugal já não vai aparecer de bikini aos olhos dos seus companheiros europeus, logo, a barriguinha e a celulite não se vão notar.

 

Assim, resumindo o discurso de ontem do primo de Louçã, sabemos que podemos contar com uma redução do salário indirecto e um aumento da carga fiscal. Menos educação, menos saúde, menos segurança social. Mais impostos, mais impostos e mais impostos. O liberalismo é isto: menos Estado de graça, mais Estado a pagar. No meio disto, e pelos intervalos da chuva, as famílias do PSD e CDS já têm os seus filhotes empregados no meio das centenas de nomeações que este (des)governo fez em meia dúzia de dias de trabalho.

 

Gaspar pede um esforço colectivo, rumo ao futuro glorioso e aos amanhãs que cantam.

Veio defender o seu plano quinquenal à boa maneira soviética: "passamos fome em prol de uma imagem que queremos transmitir para fora", tudo em nome do Capitalismo.

A direita europeia, quais gamelas dos banqueiros, tem o sonho de transformar toda a europa numa Albânia. Se o Enver Hoxha fosse vivo ficaria de cara à banda.

 

Há milhões para a banca, para as fundações, parcerias, consultorias e motoristas. Não os há para a segurança social, para a saúde e para a educação.

 

o @hugocardoso sintetiza bem a ideologia deste governo:


 

publicado por Francisco da Silva às 11:06
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 1 de Agosto de 2011

pensamento do dia

Até eu tinha vendido o BPN por mais no eBay.

publicado por Francisco da Silva às 15:38
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 29 de Julho de 2011

no comments

 

http://trendsmap.com/local/portugal

publicado por Francisco da Silva às 13:17
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 26 de Julho de 2011

PCDS

 

via @ZorGabor

 

 

publicado por Francisco da Silva às 14:10
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 2 de Junho de 2011

RSI e a proposta do trabalho voluntariamente forçado do PSD

publicado por Francisco da Silva às 13:42
link do post | comentar | favorito

.autores

.pesquisar

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Unicer - Democracia é um ...

. Desapareceu

. Quando deputado rima com ...

. "I did not have sexual re...

. os censos e a falta de se...

. o elo mais fraco

. Mais impostos, menos Esta...

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds